terça-feira, 10 de dezembro de 2013

RESENHA: O futuro da humanidade - Augusto Cury

 

Título: O futuro da humanidade
Autor: Augusto Cury
Editora: Sextante
Gênero: Romance
Páginas: 256











É com muito carinho, prazer e emoção que hoje venho falar pra vocês de um dos livros mais reflexivos que eu já li na vida. Uma obra linda do mestre Augusto Cury, que ao contrário do que muitos pensam, não escreve somente livros de auto ajuda ;)

O futuro da humanidade é o primeiro romance do autor que já vendeu mais de 16 milhões de livros só no Brasil. Augusto é médico psiquiatra, brasileiro e já teve seus livros publicados em mais de 60 países.

Conheci o livro há três anos atrás, quando eu estava no segundo período de faculdade e resolvemos fazer um "café literário". Escolhemos o livro para que toda a nossa equipe lesse e pudesse falar um pouco para o resto da turma. Foi sucesso total, toda a minha equipe AMOU o livro (inclusive os meninos) e conseguimos passar todo o nosso entusiasmo para os nossos colegas! Esses dias estava relendo-o e resolvi resenhá-lo para vocês.

Marco Polo era um jovem idealista, que acabara de entrar para a faculdade de medicina. Solidário, sonhava em poder salvar muitas vidas após se formar, e colaborar um pouco para melhorar o mundo. Porém em sua primeira aula de anatomia, ele depara-se com a falta de sensibilidade e até "desrespeito" com o qual seus professores tratavam os cadáveres usados nas aulas. 

Polo indignado, resolveu perguntar ao professor, "quem tinham sido aquelas pessoas". Algum tempo depois, soube que se tratavam de indigentes, moradores de rua e pessoas com doenças mentais, que ao morrer, eram doados para as universidades para que os alunos pudessem usá-los como fonte de conhecimento.

Foi ao tentar investigar mais afundo sobre essa história que Polo encontra, em uma praça, Falcão, um morador de rua que pregava gentileza e verdades  que muitas vezes passam aos nossos olhos despercebidos. Marco Polo ficou IMPRESSIONADO.

Daí em diante os dois passam a viver uma linda aventura, tornam-se amigos. Falcão é muito sábio e guia o jovem estudante em uma fascinante saga em busca de conhecimento, solidariedade e respeito. Nesse embalo, Polo conhece Ana, feita sob medida para ele, por quem acaba se apaixonando e vivendo uma linda história.

É uma história comovente, que fala de amor, de AMIZADE, de solidariedade e sobretudo de respeito ao próximo. É um livro de leitura rápida, mas que deixa ensinamentos para o resto da vida. Falcão acredita no princípio da "corresponsabilidade inevitável", que diz que toda e qualquer ação minha, por menor que seja, refletirá na vida de alguma pessoa, em algum lugar, e que temos que pensar nisso antes de tomar qualquer decisão.

É, na minha opinião, um dos melhores livros do autor. Um livro que todos deveriam ler, sobretudo profissionais da saúde, que muitas vezes acabam por deixar que seus sentimentos e emoções tornem-se frios diante de tantos fatos desagradáveis. Eu, como futura profissional da saúde tirei muitos ensinamentos desse livro, e venho trazendo-os na minha vida e na minha profissão durante todo esses tempo. Posso dizer que esse foi um livro que MUDOU A MINHA VIDA, e que deve ter causado reflexões em muitas pessoas pelo mundo também.

Corram pra conhecer, todos deveriam ter um pouco de Marco Polo dentro de si, tenho certeza de que o mundo seria MUITO melhor!

"Para vencer na vida exija muito de si e pouco dos outros"


Beijocaas ;) 

4 comentários:

  1. Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=78725243

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Boa resenha,mas há um equivoco, quem criou e defendeu o principio da corresponsabilidade inevitável foi Marco Polo,usando para questionar Falcão,para que este procure seu filho Lucas.

    ResponderExcluir
  4. Boa resenha,mas há um equivoco, quem criou e defendeu o principio da corresponsabilidade inevitável foi Marco Polo,usando para questionar Falcão,para que este procure seu filho Lucas.

    ResponderExcluir